quarta-feira, 25 de dezembro de 2019

... O Que eu estou jogando.

Esta é TARGUS, minha infame mochila, que já rodou o Brasil e a Europa comigo por anos, e agora traz a ingrata tarefa de carregar meu material de RPG. Fiquei relativamente ativo depois de velho - que surpresa! 4 campanhas ativas; 2 em hiato e 1 em elaboração!!! Nem nos aureos tempos de Meliny tinha tanto!
Alias, eu por anos ia nos grupos de RPG e perguntava "O que vocês estão jogando?" só para ficar furioso na minha vida sem jogo ou com partidas esporádicas. Sou da velha guarda!

Mas como Targus estava sempre uma bagunça, eu não conseguia a maldita ficha do bode sem folear os livros e os mapas que deveriam ser segredo dos '80 e da Corrida do ladrão. Por isso, tirei a manhã de natal para fazer envelopes e pastas individualizado. Tava na hora de ser organizado.

Aproveitei para fazer o catálogo das campanhas que estou ativo no momento. E ver vocês, leitores "ocupados demais" ficar com raiva de mim para variar!!!

PS: Mais do Carddulion e dos Cavaleiros '80 no meu outro blog, o Dragão de Plutônio!

CAMPANHA: Reinos de Ferro
STATUS: Em Hiato, mas é a mais antiga!
SISTEMA: Reinos de Ferro
NARRADOR: Rodrigo
PREMISSA: Uma guilda de mercenários agindo entre os Reinos de Ferro, envolvidos entre a polícia corrupta local e uma misteriosa força sobrenatural que nos marcou.
HARDMAN É... Gardagenlock, o Goblin alquimista e ladino. "Garda" é o veterano falastrão desta célula dos Terceiros Filhos. Esperto e falastrão, não só dá o suporte necessário aos aventureiros como sempre dá um jeito de ficar - ou parecer ficar - por cima mesmo nas falhas das missões.



CAMPANHA: Os Cavaleiros Anos 80
STATUS: Em andamento
SISTEMA: Mutants & Masterminds 2ª edição
NARRADOR: Hardman
PREMISSA: E se os Thundercats caíssem em Etérnia? Desenhos que fizeram a vida dos "Xenials" convivem em um mesmo planeta/galáxia, e está prestes a se chocar! Uma vilã viajante do tempo surge com novos personagens para atazanar a vida de quatro heróis iniciantes que aos poucos se tornam lendas entre Mestres do Universo, Silverhawks e até mesmo transformers!
HARDMAN É... O Mestre.

CAMPANHA: "... A Do Bode"
STATUS: Em andamento
SISTEMA: D&D 5ª Edição
NARRADOR: Rodrigo
PREMISSA: Um mundo original high-fantasy onde o Deus do Fogo perdeu sua chama e três escolhidos começam sua saga. Um pirata lizardfolk, um Warlock servo da própria morte... e um bode.
HARDMAN É... Cardullion, o Bode Bárbaro. Um animal desperto por um bardo tarado (exige explicação) que angariou favores do Deus do Caos e se tornou o músculo da equipe.


CAMPANHA: A Corrida do Ladrão (Futuramente a Whatever do Ladrão)
STATUS: 1 partida com sequência programada
SISTEMA: D&D 5ª Edição
NARRADOR: Hardman
PREMISSA: Era para ser uma one-shot num dia que só 2 puderam comparecer. Mas foi tão divertida que os originais querem impô-la aos demais jogadores. O grupo é exclusivamente de ladinos level 1 querendo entrar - ou não ser executado - por uma guilda de ladrões locais. Para isso, precisam passar por uma prova de obstáculos confeccionada para testar suas habilidades: A infame Corrida do Ladrão! Em breve: A Festa do Ladrão, a Colheita do ladrão, etc...
HARDMAN É... O Mestre


CAMPANHA: Mundo das Gostosuras
STATUS: Em andamento
SISTEMA: Working Title
NARRADOR: Gilson
PREMISSA: Terror urbano com fantasia juvenil. Crianças do mundo inteiro são sequestradas de seu mundo no dia de seu aniversário por uma suposta bruxa. Acordam 1 ano depois num mundo feito de doces e perigos, descobrindo poderes consequências dos eventos.
HARDMAN É... Pyatogo Polovina; ou "5 e 1/2". Criança russa irritadiça de 10 anos. O governo russo fez o "programa casa de doces" usando crianças como iscas para atrair a "BabaYaga". 5 1/2 e sua irmã ficavam cofinados por anos numa casa simulacro, completamente vigiada, para capturar a entidade. Aparentemente, eles falharam. Pyatogo, com poderes de controle de gravidade, busca um meio de voltar para casa, encontrar sua irmã, e matar a bruxa.




CAMPANHA: Rick & Morty Vs D&D
STATUS: em elaboração
SISTEMA: D&D 5ª Edição
NARRADOR: Hardman
PREMISSA: Wubba Lubba D&D! O Lendário Rick da Terra C-141 fez uma dungeon e trouxe sósias de seus familiares de outras dimensões para tentar atravessas a Masmorra Perdida da Rickilência! Ninguém liga para Backgrounds! Só >buurp< só só role iniciativa!
HARDMAN É... Rick C-141

segunda-feira, 23 de maio de 2016

Matador de Onça

Serjão Berranteiro tem tantos remixes bons que já tá quase com um LP inteiro!

segunda-feira, 30 de novembro de 2015

Versão extendida - e politicamente INCORRETA - Da batalha dos 5 exércitos



Elfos vs. Anões versão estendida. De qual lado vocês estão?

sexta-feira, 15 de maio de 2015

[crônica] - PARDAL

Estava eu lá, e ele lá. Em completo silêncio (vocês verão o Porquê ainda neste texto). Quando de repente, ele vira para mim e solta:

- BORBOLETA.
Ele fala, e olha para mim, como se eu tivesse que completar. Obviamente, procuro ao redor. Olho para ver se ele apontou algo. Mas não... Ele simplesmente soltou a palavra "Borboleta".
 - O que tem?
- Como "assim o que tem"? - revolta-se ele.
Ele está estranhando o meu "O que tem" seguido dum seco "Borboleta"?
Para ser justo: "Borboleta" não foi o que ele disse. Foi um assunto aleatório, espontâneo e igualmente inconclusivo, não necessariamente o inseto alado metamorfoseado de uma lagarta. Substitui apenas para preservar nomes e eventos.
- Você falou "Borboleta" e só! - tento retrucar
- Para bom entendedor, isso basta!
 Creio que estamos deixando o campo da gramática e da hermenêutica, e adentrando na física quântica.
- Bem, eu não sei. Preciso de mais subsídios para saber do que está falando. Tem uma borboleta aqui? Você tem medo de uma borboleta? Você queria ser uma borboleta?
- Você NUNCA sabe de nada! - fala triunfante.
Sim, é o TRIUNFO que ele busca. Mostrar que eu não sou culto o suficiente. Uma vitória quase tão gratuita quanto começar um diálogo com "Borboleta".
- Certo... E o que quer dizer "BORBOLETA"!
- Bah! Como ainda não sabe?!? Esta geração está perdida mesmo! A poluição está corroendo o cérebro!
 Ainda não consegui entender o que seria a conversa de "Borboleta" e já sou o avatar da decadência "desta geração", a qual, pela idade, já não pertenço.
- Chega! - falo enfim. Já tive conversas com poucas variantes (nunca antes “Borboleta”, mas ja tive um “e aquele negócio assim?”) com desfechos idênticos com aquela pessoa para minha paciência, um pavio já usado, estourar rápido. - É impossível conversar com alguém assim! Mesmos e eu soubesse dessa "Borboleta"!
- PARDAL.
 Infelizmente, devido à impossibilidade do meio escrito de transcorrer com precisão temporal a sequência de falas simultâneas, ficou pouco claro, então explico: No final de "com alguém assim!" fiz uma pausa para respirar. E ele falou simultaneamente "PARDAL" quando eu retomei a palavra. Não "Pardal" aquele pássaro, mas um assunto aleatório espontâneo e inconclusivo qualquer omitido para preservar nomes e eventos... DISTINTO de “Borboleta.
- O que? – pergunto confuso.
- OLHAÍ! - urra ele. - Dando ESCÂNDALO e NINGUÉM MAIS está falando de BORBOLETA! Sempre vestindo a carapuça! Sempre desatento!
 Resultado: ataques de Síndrome de Tourett unicamente para demonstrar que eu sou burro - tal qual minha geração - escandaloso, e desatento.